A influência dos influencers

Influencers Marketing

Os influencers

O caso Cocielo chamou a atenção de todos, não apenas pelo cunho racista do tweet que
o influencer digital postou, mas também por algo que chamo de imagem solidária. Esse
caso nos mostrou essencialmente como as marcas precisam tomar cuidado com os
blogueiros que contrata para divulgar seus produtos e serviços e trouxe uma questão
importante para os players do mercado de publicidade digital: como deve ser a relação
das marcas com os youtubers?
Esse questionamento está estampado nos principais periódicos do trade e evidencia
como as marcas podem ser responsabilizadas, de forma indireta, pelas atitudes e
postagens dos seus “representantes”, o que leva ao conceito dito lá em cima. A teoria nos
sugere que para a construção de uma imagem sólida junto aos seus públicos depende
diretamente de sua postura, atuação e como seu discurso é emitido junto aos
seus stakeholders. Em tempos de internet, a imagem não depende apenas das marcas,
mas também a tudo que possa ser vinculado a ela, podendo arranhá-la e causar uma
potencial crise.

“A imagem solidária envolve os influenciadores digitais, os funcionários, os parceiros e até
os clientes, ou seja, todos que, de alguma forma, interagem com o negócio de uma
empresa podem fazer com que a imagem de uma marca possa ser abalada.”

Os clientes estão se questionando se precisam de influenciadores e até repensam seus
modelos de patrocínio com blogueiros, um exemplo disso são as marcas que
patrocinavam o Cocielo, que se pronunciaram retirando seus investimentos. Por isso,
passam a pressionar as agências de publicidade para buscar soluções alternativas e/ou
tentar de alguma forma blindar sua imagem. É fato que hoje o papel dos blogueiros nas
estratégias de publicidade digital corresponde a uma boa parte do budget, mas isso não
pode ficar do mesmo jeito que vem acontecendo ultimamente; afinal, as marcas estão
expostas e acabam sendo envolvidas em crises de forma solidária.

Alguns experts em redes sociais digitais levantam a bandeira de estruturar ações para
promover a independência das marcas dos blogueiros e assim evitar riscos à reputação
das mesmas, essa iniciativa é muito assertiva até porque o caso Cocielo não é uma
exceção, alguns outros blogueiros nessa última semana incorreram no mesmo erro. 
As marcas e as agências digitais precisam buscar soluções mais criativas e sair do óbvio ,
algo além de entregar seu budget para youtubers, afinal, as agências estão trabalhando
do mesmo jeito desde os anos 80, pois contratam uma personalidade, entregando rios de
dinheiro para falar da sua marca, divulgando em um veículo de massa e pronto. É
possível ver essa mesma tática midiática com as personalidades digitais e,
provavelmente, as marca e as agências conseguem ser mais criativas do que isso. O
lugar comum está sendo questionado, seja pelo dinamismo do cenário cibernético, seja
pelo risco de se utilizar youtubers.

Influencers Marketing
O que fica de aprendizado aqui é que a criatividade é melhor do que a mesmice e que as
estratégias preguiçosas tendem a ter surpresas nada legais. #ficadica

Leave a Comment

× Como posso te ajudar?